Menu fechado

No Piauí, pré-natal em cães e gatos garante saúde das ‘futuras mamães’

Veterinária diz que busca por acompanhamento vem crescendo em Teresina. Cadela Luna fez o pré-natal e teve seus três filhotes em uma clínica.
doctorvet-foto121
Luna (à esquerda) teve três filhotes em uma clínica veterinária (Foto: Juliana Gomes/G1)

O pré-natal é a fase em que a mulher é acompanhada por um médico durante os nove meses da gestação para evitar quaisquer problemas para mãe e bebê nesse período e no momento do parto. Porém, essa assistência não é realizada somente em humanos. A prática vem crescendo também entre animais de pequeno porte como cachorros e gatos.

De acordo com a médica veterinária Pollyana Ibiapina, em Teresina, a procura por esse acompanhamento vem aumentando a cada ano devido ao apego e a preocupação dos donos por seus animais.

“Os pais dos animais estão cada vez mais preocupados com eles, então acompanhar e saber o que vai acontecer, quais são os passos de um parto, quais são as alterações que vão ocorrer durante a gestação, como é feita a nutrição, ou seja, os donos estão querendo mais informações e também cuidar”, explicou.

doctorvet-foto122
Luna fez o pré-natal e teve assistência durante sua gestação. (Foto: Letícia Moura/Arquivo Pessoal)

A veterinária explica que através do pré-natal é possível saber se o bichinho vai ter um parto normal ou se vai precisar fazer  cesariana. Além disso, é possível saber quantos filhotes a cachorra vai ter e o tamanho deles.

“O pré-natal já começa com o diagnóstico da gestação, primeiro vamos confirmar se a cadela está gestante e pra isso precisamos de exames como a ultrassom. Então, esse método vai me ajudar a manter a segurança tanto dela como dos filhotes. É por essa assistência que eu posso saber se o animal vai parir normal ou fazer cesariana, quantos filhotes vão ter ou qual tamanho deles”, esclareceu.

A cadela Luna de raça shitzu, teve a sua gestação acompanhada pela médica Pollyana e teve toda assistência desde a confirmação da sua gravidez, suplementação para aumentar a produção mamária até o nascimento dos filhos. A dona, Letícia Moura conta que sempre foi muito preocupada com seu animal e fez questão de levá-la para ter o acompanhamento durante a gestação.

“Quando desconfiamos que ela estava prenha trouxemos para a clínica onde foram feitos os exames e constatada a gravidez. Durante a gestação eu me preocupava muito, qualquer movimento estranho dela ou dor eu já levava pro médico. No dia em que a Luna pariu fez um ninho na caminha dela, mas não manifestou sinal de dor. Quando eu fui ver, um cachorrinho já estava saindo, fiquei preocupada e levei para a clínica. Ela teve três filhotes e nós ficamos com um deles chamado Noah”, contou.

doctorvet-foto123
Luna, da raça shitzu tem dois anos de idade. (Foto: Letícia Moura/ Arquivo Pessoal)

A veterinária ainda alerta que durante o parto, a recomendação é para que os donos não assistam. A ideia é deixar o animal mais tranquilo. Na maioria dos casos, após o procedimento,  mamãe e filhotes podem ir para casa no mesmo dia.

“Se o dono quiser acompanhar o momento junto à cadela não tem problema, mas se o proprietário estiver nervoso, é melhor ficar do lado de fora esperando para que o bicho fique calmo. No mesmo dia, se não tiver nenhuma complicação, os filhotes com a mãe vão para casa. Além disso, partos feitos em casa também são seguros. Eles só precisam vir para a clínica se o dono estiver inseguro ou se o animal tiver algum problema”, finalizou.
________________________________________________________
Fonte: G1, Publicado em 08/05/2016 07h00 – Atualizado em 08/05/2016 07h00

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *